Pesquisar entre um período de datas:
 /  /   até   /  / 
Data no formato dd/mm/aaaa

ENGENHEIRO ALERTA SOBRE URGÊNCIA DE POLÍTICAS QUE PRIORIZEM USO RACIONAL DA ÁGUA
(18/03/2009)

Por admin

Desde 1993, a Organização das Nações Unidas celebram o Dia Mundial da Água na data do dia 22 de março. A data é o momento em que sociedade civil e governo refletem acerca do uso da água. Um relatório do Instituto Socioambiental (ISA) revela que o Brasil registra um desperdício diário de 2,5 milhões de água potável, desde a retirada dos mananciais até a chegada às torneiras. A Agência Nacional de Águas (ANA) também alerta para o desperdício: 40% da água retirada no país não é utilizada.

Por ser vital para a sobrevivência do ser humano, a água deveria ser usada de forma racional para que não houvesse escassez a longo prazo. É assim que pensa o engenheiro Paulo Costa, que atua no segmento de programas de uso racional de água há mais de sete anos. e é atualmente diretor da empresa H2C, que realiza consultoria especializada em projetos para empresas e condomínios residenciais.

Para o engenheiro, nesse Dia Mundial da Água, não há muito que se comemorar: "Ainda faltam políticas públicas que realmente implementem o uso racional. Antes o culpado do desperdício era apenas as concessionárias de água que queriam obter lucro a todo custo. Mas hoje os governos, sejam eles federal, estadual ou municipal, também têm sua parcela de culpa".

Sediada em São Paulo e fundada há mais de dez anos, a H2C implementa um programa inédito de uso racional da água por performance: "Nossos técnicos visitam o local, elaboram um projeto, instalam os produtos e aí, caso haja economia de água, nós lucramos em cima dessa economia. O valor economizado é utilizado para pagar os gastos com projeto, instrumentos e mão-de-obra. Caso não haja economia, nós não lucramos", explica Paulo.

Segundo Paulo, o Brasil possui alta tecnologia para o uso racional da água, porém os governantes ainda mantêm uma visão míope do problema. Ele diz que poderia ser feito com a água o mesmo que está sendo feito com a energia, por meio de troca de geladeiras que economizam energia. "O governo federal deveria realizar um programa de uso racional da água. Estamos perdendo tempo", ressalta o engenheiro.

Com a realização da Copa do Mundo em 2014 no Brasil, Paulo destaca que o País poderia dar um exemplo ao mundo com a implementação de um programa de uso racional: "Alemanha, Bélgica, República Tcheca, Hungria e Portugal são os líderes no uso racional com 110 litros/dia por pessoa. Enquanto no Brasil e em outros centros populosos, gastamos 250 litros/dia por pessoa. Isso é o resultado da falta de políticas públicas que enfatizem a educação ambiental".

O engenheiro cita exemplos de como podemos proceder para reduzir o consumo de água no nosso cotidiano. "Exercitar a cidadania no uso da água é essencial. Ações simples, como escovar os dentes com a torneira fechada, tomar banhos mais curtos, não lavar calçadas com esguichos, ajudam muito a economizar. O ideal seria aliar essas ações com a tecnologia", afirma Paulo.


 

Crédito da imagem: USP


(Envolverde/Adital)


 


 

  As imagens foram cedidas por Miguel von Behr