Pesquisar entre um período de datas:
 /  /   até   /  / 
Data no formato dd/mm/aaaa

Presidente Lula sanciona lei que cria Universidade da Integração Latino-americana
(19/01/2010)

Por Agência Costeira

A Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), com sede em Foz do Iguaçu (PR), terá aulas em português e espanhol e oferecerá cursos de graduação e pós-graduação para estudantes dos países da América Latina

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta terça-feira (12/1) o projeto de lei que cria a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila).

 

Em meio à polêmica em relação ao terceiro Programa Nacional de Direitos Humanos, que já ocasionou troca de farpas entre ministros, o presidente preferiu, pela segunda vez desde que voltou de férias na segunda-feira (11), não discursar em cerimônia realizada no Centro Cultural Banco do Brasil, sede provisória do governo.

 

Durante a cerimônia, Lula apenas observou as falas do ministro da Educação, Fernando Haddad, do presidente da Comissão de Implantação da Unila, Hélgio Trindade, e do governador do Paraná, Roberto Requião.

 

A Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), com sede em Foz do Iguaçu, no Paraná, terá aulas em português e espanhol e oferecerá cursos de graduação e pós-graduação para estudantes dos países da América Latina. A universidade internacional visa também promover a integração entre os países latino-americanos.

 

Durante a cerimônia, Haddad destacou a ampliação dos investimentos em educação. Segundo ele, a criação da Unila representa a construção da 13ª universidade federal pelo atual governo. Atualmente, são 56 universidades contra as 43, existentes até 2002.

 

"Quero registrar esse número de 13 universidades federais porque o governo que tinha feito mais foi o de Juscelino Kubitschek, com 10. Já superamos essa marca com alguma margem", observou Haddad, acrescentando que os investimentos em educação superior não significaram a redução nos investimentos em outros níveis educacionais, como no ensino profissionalizante e na educação básica.

 

De acordo com Haddad, nos dez anos de vigência de Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), os investimentos no setor atingiam pouco mais de R$ 500 milhões, em média, ao ano.

 

"Só neste ano, estamos investindo no Fundeb [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação] R$ 7 bilhões. Essa expansão foi necessária para garantir que onde nasça um brasileiro o investimento em educação seja o mesmo", disse o ministro da Educação.

 

"É possível investir em todas as etapas e níveis de educação, mas para isso precisa um pouco mais que vontade, precisa de coragem", acentuou Haddad.

 

O presidente da Comissão de Implantação da Unila, Hélgio Trindade, comparou a criação da nova universidade à instalação de outras grandes instituições no país no século passado, com a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade de Brasília (UnB).

 

"Esse é um momento histórico", definiu Trindade. "O ato consagra uma política educacional estratégica e corajosa de um presidente que criou o maior número de universidades na história republicana. Ademais, se constitui num longo processo de construção de nação embasado na educação em todos os níveis", afirmou.

 

Para o governador do Paraná, Roberto Requião, a Unila representa "mais do que uma universidade nacional é uma instituição de integração, de alunos e professores de todos os países do continente".

(Ivan Richard)

(Agência Brasil, 12/1)

 

  As imagens foram cedidas por Miguel von Behr