Pesquisar entre um período de datas:
 /  /   até   /  / 
Data no formato dd/mm/aaaa

Baleeiros disparam com canhões de água contra ativistas
(03/02/2009)

Por admin

Baleeiros japoneses atiraram água de um canhão em ativistas que jogavam garrafas de óleo de rícino e tinta em seus navios durante um confronto nesta segunda-feira (2) nas águas da Antártida.

A Organização Sea Shepherd também acusou os baleeiros de jogarem pedaços de metal e bolas de golfe em seus membros, machucando levemente dois ativistas. Representantes japoneses dizem que apenas canhões de água foram usados.

O grupo - que frequentemente assedia a frota de caça às baleias japonesa durante seu período anual de caça no Oceano Antártico - mandou um helicóptero e dois botes infláveis em direção a um navio japonês no início desta segunda-feira (2) disse Paul Watson, líder do grupo.

O Japão, que descreveu os ativistas da Sea Shepherd como terroristas, planeja caçar até 935 baleias minke e 50 baleias fin nesta estação. Segundo as normas da Comissão Baleeira Internacional, os animais podem ser caçados apenas com fins científicos, não comerciais. Oponentes dizem que a expedição de pesquisa japonesa é, na verdade, um disfarce para a caça comercial, que foi banida desde 1986.

Os baleeiros acertaram os ativistas com um canhão de água, derrubando um homem que ficou com cortes e hematomas, disse Watson.

Outro ativista foi atingido no rosto com um grande pedaço de metal jogado do navio. Ele estava usando uma proteção em seu capacete, mas ainda assim ficou com hematomas, disse Watson.

Os japoneses também usaram uma "arma de ruído militar" que pode causar surdez e vômito, disse Watson. Alguns sentiram suas vibrações mas estavam muito longe para serem afetados, afirmou.

Toshinori Uoya, representante da Agência de Pesca responsável pela caça, disse que os membros da Sea Shepherd começaram os ataques contra os baleeiros e que eles usaram um canhão de água em defesa.

"É irritante ouvir que eles estão fazendo acusações sem fundamento", disse. "Nós agimos apenas em nossa defesa, para afastá-los."

Uoya disse que ativistas em dois botes estavam jogando garrafas de óleo de rícino e tinta no principal navio, o Nisshin Maru, e mais dois, os Yushin Maru 1 e 3. Eles também jogaram cordas na tentativa de bloquear a passagem da frota.

Ele disse que o governo do Japão fez um protesto com os governos da Austrália, Nova Zelândia e Holanda - onde o navio da Sea Shepherd, o Steve Irwin, está registrado - pedindo sua cooperação para impedir protestos violentos. (Fonte: Estadão Online)

 

  As imagens foram cedidas por Miguel von Behr